MARIA RITA NO BARBICAN

Com um cronograma apertado, e substituições na equipe de som em cima da hora, Maria Rita fez um som contagiante no último sábado, 28, no Barbican Hall, encerrando sua turnê européia do álbum “Samba Meu”.

Como o próprio nome sugere, o disco traz sambas clássicos e inéditos, com a interpretação de Maria Rita que sempre se mostrou preocupada com a reação de seu público a um CD composto apenas de sambas. E mais: sempre referiu-se humildemente a este trabalho, pois preocupa-se com a reação dos “sambistas” à sua audácia.

“Estou muito à vontade. Várias pessoas do samba me davam bronca: “Pára de dizer que não é sambista!”. Não tem arrogância nessa turma, ninguém chega para mim com aquele ar de “Ah, você não conhece o samba tal”. Vou sempre achar que sou menos autoridade do que cantoras como Teresa Cristina e Mart’nália, por exemplo, mas estou confortável”, avalia.

Apesar de afirmar que estava confortável cantando sambas, Maria Rita pareceu desconfortável (e muito!) com o figurino do show. Com brilhos, babados e cores, o conjunto estava adequado se não fosse pela artista puxar a blusa o tempo todo para baixo.

Outro detalhe que não ajudou no desempenho de Maria Rita, foi o fato de que ela parecia forçada a sambar. Só porque é um disco de samba tem que sambar? Seria muito melhor se Maria Rita parasse um pouco de tentar sambar e se concentrasse mais no que ela faz

melhor: cantar! Principalmente nas primeiras músicas, incluindo a que dá nome ao álbum, quando a cantora saltitava de um lado ao outro do palco, não foi possível apreciar o talento de sua voz que pareceu abafada.

Mas quando fixou-se no centro do palco, gingando e rebolando suavemente, entoando a canção “Recado” e “Muito Pouco” (ambas do disco Segundo), é que o show realmente começou.

Com a casa cheia – e a platéia lotada de brasileiros –, o espetáculo foi inédito e inesquecível para os presentes. Com blocos de músicas dos trabalhos anteriores, nenhuma

canção ficou de fora. Brasileiros e estrangeiros saíram satisfeitos do show que incluiu “Cara Valente”, “A Festa”, “Não vale a pena”, “Pagu”, “Caminho das Águas”, “Encontrose despedidas”, entre outros sucessos. O ápice do concerto foi com a

canção “Conta Outra”, com os apitos agudos e a voz maciça da filha de Elis Regina enchendo o teatro – por vezes, ao fechar olhos, e concentrar no timbre da voz de Maria Rita, é para ficar em dúvida qual das duas é a dona da voz que estamos ouvindo.

Ao final do show, quando Maria Rita retornou pela segunda vez ao palco do Barbican, depois da despedida “oficial” do concerto, ela admitiu surpresa e feliz “Desculpa

gente, mas terei que repetir alguma música, não temos mais nada ensaiado! Pode ser ‘Maria do Socorro’?”.

E o público entoou junto “Maria do Socorro, suas pernas torneadas pelas ladeiras do morro…”

One response to “MARIA RITA NO BARBICAN

  1. O show da Maria Rita deve ter sido maravilhoso, apesar do estilo diferente q ela adota, ainda lembra demais a Elis!
    grande entrevista! bjsssssss

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s